502 Bad Gateway


nginx/0.7.67
O RELATO DE UM MIB - PARTE 7 502 Bad Gateway

502 Bad Gateway


nginx/0.7.67

502 Bad Gateway

502 Bad Gateway


nginx/0.7.67

O RELATO DE UM MIB - PARTE 7

[Home]     [Intro]     [O relato de um MIB - Parte 7]     [Não acredito!!!]     [Furos no roteiro]     [Linha do tempo]

 

Intro

Venho aqui mostrar as evidências que colhi, e as conclusões que cheguei, sobre o relato de um MIB, história ficcional criada por Philipe David Kling, editor do famoso blog Mundo Gump. E sobre os acontecimentos recentes, envolvendo Gustavo e Vivi, o ataque ao site mundo gump, entre outras coisas.

Já fazia uns dias que não visitava a página do Mundo Gump, e quando cheguei lá, quanta confusão! Era Gustavo, ET capturado, conspirações etc. Já havia lido da parte 1 a 5 do relato de um MIB, mas não tinha prestado atenção aos detalhes dos bastidores. Também sabia que existia a comunidade do Mundo Gump no orkut, mas não participava ainda.

Fiquei acompanhando o caso, e comecei este trabalho "investigativo" quase sem perceber, por pura diversão. Fui juntando uma coisa aqui, outra ali, lendo as opiniões dos outros leitores na comunidade, e por fim, cheguei até aqui, aonde publico o resultado de algumas semanas de divertimento meu.

Na verdade, não foi a primeira vez que faço algo parecido. Também adorava investigar virais do tipo "segredo do CCAA", ARGs, e outros jogos de investigação que já rolaram na internet, aonde tínhamos que buscar pistas em sites, decifrar mensagens, entre outras coisas. Mas colocar as minhas conclusões em uma página é a primeira vez. :)

 

 

O Relato de um MIB - Parte 7

Bom, tá muito boa a historinha, mas cadê o relato de um MIB, parte 7?

A parte 7 já aconteceu. Aliás, ainda está acontecendo neste momento. Todos os acontecimentos ao redor do personagem "Gustavo"... Faz tudo parte da história. Mas com uma diferença fundamental das outras partes: Dessa vez o leitor participa, inserido diretamente no conto. Na verdade, o conto que saiu das páginas da Internet, e veio para o mundo real.

Philipe, um roteirista admirável, com capacidades ímpares em criatividade e expressão, teve essa idéia genial de trazer o conto à realidade, e colocar o leitor no meio do fogo cruzado da trama, dando cada vez mais veracidade à história. Como ele mesmo disse, um tipo de "Lost" hehehehe , com os leitores debatendo, investigando, criticando ações, tomando partido para cada um dos lados.

Nos comentários de o relato de um MIB parte 1, Philipe já faz uma experiência, no sentido de inserir o leitor na história:

Philipe diz nos comentários que o texto é ficcional, mas já naquela data, um usuário anônimo questiona se ele não estaria sendo ameaçado pra dizer isso, e Philipe dá a seguinte resposta: "Não vou falar sobre o assunto".

- Então o usuário Carpeginni verifica que o IP do tal usuário anônimo era o mesmo IP do Philipe. Philipe dá a resposta:

Meu Deus! Eles fraudaram meu IP!

Sabe-se lá que tipo de tecnologia ultra-espacial esses caras têm?

Hahaha. Estou gostando da idéia de interlocução comigo mesmo.
Dá uma terceira dimensão ao texto.

Obvio que se eu quisesse fazer isso direito faria, né? Mas veja, se alguém se dá ao trabalho de investigar o Ip da mensagem anônima, meu plano deu certo.
Virou um tipo de Lost este post, com os leitores investigando, se mexendo. Legal. Boa experiência.

Em outros comentários, Philipe continua a fazer o jogo realidade/ficção, em alguns lembrando que é ficção, em outros não. Exemplos:

Sim eu que fiz tudo, a modelagem o conceito, a animação, as fotos, as texturas, as imagens, até as vozes. Incluindo a história.
Tudo já está pensado. Até o que parece não bater. O relato ainda não acabou. Sobre a história, tudo que eu posso dizer por enquanto, é que eu recebi a terceira mensagem ontem a noite. Ele respondeu algumas das minhas perguntas. Mas preciso esperar o sinal para divulgá-la. Divulgar a mesma antes da hora pode colocar tudo a perder. As pessoas acham que eu publico o relato assim que recebo, mas a verdade é que cada passo é cuidadosamente planejado para ocultar certos detalhes.
Vcs acham que eu devia publicar as fotos mais sinistras? Pensei em não fazer isso, pq algumas são muito chocantes.

Opa, eu não estou autorizado a tomar nenhuma atitude sem consultar essas pessoas, e a única garantia de continuar recebendo informações é seguir estritamente o que eles falam. Vamos ver até onde isso vai.
Claro que estou falando isso na perspectiva da ficção, blz?

Caralho, maluco! Pirou? Tu escreveu o próprio nome neste post. Deu a maior bandeira. Os caras rastreiam seu Ip! Não era pra contar que tu foi lá. Agora ferrou. Deletei sua mensagem, mas se os caras pegaram antes, aí já era. Quando for comentar, faz aquele esquema do tunnel que o vortex recomendou.
Falando nisso, eu preciso falar com você, porque a data da visita já tá marcada e tu tá dentro. Enchi o saco dele até ele te liberar. Vou te ligar.

Até mesmo em comentários feitos há 6 meses atrás, no youtube:

Soon I will publish more. More details, more info about spacecraft and medical data... Stay tune! The material is with me in secure place and I am just waiting the signal to release. But vortex desappear. He don´t answer my emails.
Also i receave an strange call in my cellphone with someone not identifyed who say: "- Stop with alien stories!" and he close call. Strange... But I will not stop.

Tradução:

Logo irei publicar mais. Mais detalhes, mais informação sobre a espaçonave e os dados médicos... Fiquem ligados! O material está comigo num lugar seguro e eu estou apenas esperando o sinal para disponibilizar.
Mas vortex desaparece. Ele não responde meus emails.
Eu também recebi uma estranha ligação no meu celular com alguém não identificado que dizia: "- Pare com as estórias sobre aliens!" e ele desligou. Estranho... Mas eu não irei parar.

Nestes posts, já eram plantadas as sementes da experiência que Philipe faria agora, no mês de Outubro. Gustavo, Vortex, Vivi, ABIN, ameaças por telefone, site hackeado, sequestro... Isso tudo é a parte 7, do "relato de um MIB". Tudo para dar uma terceira dimensão ao texto. Algo arriscado, porém completamente inovador.

 

 

Não acredito!!!

O principal argumento de Philipe, e de todos os seus defensores, é que ele "não daria um tiro no próprio pé". Deixar a página fora do ar por três dias significaria perda de leitores, e perda de dinheiro, dos anúncios e dos cliques do Google Ads.

Primeiro vamos focalizar em relação aos acessos diretos ao site. No site do mundo gump, a página "Anuncie Aqui" diz:

Em média ele tem mais ou menos algo entre 8.500 a 10.000 leitores diários, com picos de 12000. Nossa curva é ascendente e desde junho de 2008 quando chegamos aos 12.000 leitores ao dia, estabelecemos como nova meta 20.000 leitores diários até dezembro.

Dia 23/10, Philipe diz no orkut:

Sobre a questão financeira do blog com esta confusão toda, não é justo eu dizer que perdi 300 dolares. O que ocorre é que em algumas situações, o Mundo Gump atingiu faturamentos na ordem dos 100 dolares ao dia. Considerando que ele ficou forado ar, eu posso ter perdido essa oporunidade, mas certo mesmo não tem nada. Até porque o retorno maior advém do adsense, que paga por clique. Eu nunca sei se as pessoas irão clicar ou não. Assim há dias em que ocorrem certos "milagres" e dias de profunda depressão com baixa taxa de cliques.
O certo mesmo é que com o Mundo Gump fora do ar, eu não ganho nada, nem clique, nem anunciante nem leitor. Logico que com a volta do blog ao ar, tudo começa a se estabilizar novamente, mas não existe absolutamente nenhum milagre decorrente do ocorrido. O blog voltou a um patamar de acesso ABAIXO do que tinha antes dessa crise toda. Pelas contas, eu perdi com isso mais ou menos uns 2000 leitores.

No dia 24/10 Philipe postou um gráfico, revelando a queda nos acessos. O site vinha de um patamar de mais de 10 mil acessos, caiu para 3 mil e poucos no último dia do ataque, voltou para quase 10 mil no dia da volta, depois despenca novamente para 3 mil e poucos. Na média do período, ficou na faixa de 6 mil e poucos. Realmente caiu.

Mas além de ser um período muito curto para se ter uma análise precisa, esse gráfico mostra somente a semana em que ocorreu o ataque, onde estaria a pior queda no número de acessos. Essa foi uma situação planejada, e isolada, e com a volta à normalidade no blog, a tendência é recuperar o prejuízo, e retomar o crescimento.

Quanto aos leitores, não acho que o site vá perder leitores. Claro que teve muita gente que reclamou que aquela história toda de MIB estava muito chata, e com muita baixaria, mas teve também muita gente que adorou, dizendo que foi a semana mais divertida do mundo gump. Inclusive vi relatos de usuários que passaram a conhecer o mundo gump por causa do relato de um MIB, e da confusão em torno dele. Para os leitores habituais, mesmo quem não gostou da confusão, logo teve o site de volta. O único problema seria para os novos leitores, que poderiam se decepcionar com o barraco. Mas também poderiam entrar na história, e querer acompanhar a "novela". Enfim, se perdeu por um lado, também ganhou por outro. Fazia parte dos riscos calculados. Não sei se serve de termômetro, mas a comunidade do mundo gump no orkut, na imagem da mensagem cifrada de Philipe, tinha 756 membros. No dia 26 de Out já tinha 928.

Quanto ao prejuízo financeiro. Não tenho nenhuma formação em finanças, mas tentei medir mesmo assim. Em primeiro lugar, Philipe tem uma empresa, e um emprego. Não acho que ele se sustente às custas do mundo gump. O que o site gera de receita, deve funcionar apenas como um adicional para ele, podendo o valor variar dependendo do número de clicks diários, como ele mesmo disse.

Vamos calcular o quanto ele perdeu desse adicional.
Prejuízo direto: O site ficou fora do ar 3 dias, dos 30 do mês. Então o prejuízo direto foi de 10% do valor que ele provavelmente ganharia no mês.
Prejuízo residual: Partindo que o site caiu de 10.000 para 6.000 acessos (média), então caiu para 60% do inicial. Se demorar 1 mês para tudo se normalizar (100% do inicial), a média vai ficar em 80%. Então contabilizamos menos 20% de acessos, na média. Supondo que o número de clicks seja proporcional aos acessos, teremos 20% menos de receita.
Então somando o prejuízo direto com o residual, Philipe teria perdido 30% desse adicional mensal que o mundo gump lhe provém. Provavelmente o prejuízo talvez fosse até um pouco maior, se contabilizarmos também o que a página teria crescido nesse intervalo, se não fossem os acontecimentos. Isso tudo baseado em médias, claro, e contando que os acessos se normalizem em 1 mês.

O valor real da perda, nunca se saberá. Mas podemos colocar num patamar de 1/3 do que o mundo gump gera em 1 mês. Mesmo que fossem 2/3. Lembrando que isso representaria apenas um adicional para Philipe, esse foi o único prejuízo real e irrecuperável que Philipe teve.

Talvez fosse o preço a se pagar para fazer desta experiência a mais crível possível para os leitores. Porque, sem dúvida, o site ter sido "atacado", foi o que mais deu credibilidade à história toda. Afinal, se ele se deu ao trabalho de bolar (e realizar) isso tudo, tem mesmo que se esforçar ao máximo para fazer dar certo. Incluindo aceitar um pequeno prejuízo.

De qualquer forma, não era simplesmente um viral para atrair leitores para o blog. Está mais para um ARG (Alternate reality game), ou alguma experiência parecida. Ou então algum lance de marketing para algo maior, que ainda estaria pra se revelar nos próximos capítulos do conto. O lançamento do livro, por exemplo, seria um ótimo motivo. Se for isso, então não pensem nos prejuízos como prejuízo, e sim como investimento.




Próxima parte:

>>> Furos no roteiro >>>



[Voltar ao topo]

[Home]     [Intro]     [O relato de um MIB - Parte 7]     [Não acredito!!!]     [Furos no roteiro]     [Linha do tempo]




maturedmobile@gmail.com

502 Bad Gateway

502 Bad Gateway


nginx/0.7.67